Tornando-se E-Resident na Estônia


A Estônia tem evoluído rapidamente em sua estrutura de negócios digitais, sempre trazendo novos serviços, ideias e progredindo com seu projeto de se tornar a nação mais digitalizada e menos burocrática do mundo. Tudo isso converge positivamente com nossos interesses burgueses, que estamos sempre buscando trabalhar menos e ganhar mais. O programa foi lançado recentemente (dez/2014), mas está dando passos cada vez mais largos, e embora talvez ainda não seja a hora de fazer parte, é bom que fiquemos de olho. Coisas boas vem por aí.

Quais os benefícios de aderir ao programa de e-residency (residência eletrônica) da Estônia?

O mais importante benefícios é poder abrir uma empresa online em um país que faz parte da União Europeia, cortando os impostos que se pagam por transações internas dentro do bloco. O programa também viabiliza a desafixação regional. Parece não ser nada demais, e creio que você imagina que pode pegar suas coisas e mudar-se para qualquer país, mas não é bem assim. Se você tentar fazer isso vai perceber a quantidade de barreiras burocráticas que se tem, principalmente envolvendo o sistema bancário (que não vai ter interesse em manter sua conta corrente quando você deixar de ser residente). Na Estônia, mais de 99% das coisas podem ser feitas online e autorizadas usando sua assinatura digital. Isso é lindo.

Como funciona e quanto custa para participar do programa do programa de e-residency?

Você aplica para o programa, paga uma taxa (state fee) de €100 e pega o kit em um dos pontos de escolha disponíveis (embaixada ou consulado).

E-residents podem morar na Estônia ou na União Europeia?

Não, a menos que você tenha passaporte de algum país de lá ou permissão de residência. O programa de residência eletrônica não tem nada a ver com qualquer programa de cidadania "física".

Taxas e Impostos

Normalmente você deve pagar impostos no país onde você reside (salvo raras exceções como os EUA que cobra impostos de seus cidadão sobre a renda que recebem mundialmente). Ao tornar-se e-resident da Estônia, você não terá que pagar impostos locais relacionados à sua pessoa física por não poder consumir seus serviços públicos. Contudo, impostos relacionados à empresa aberta lá serão aplicados.

Quem pode se beneficiar do programa?

Para quem tem negócios digitais e ganha pouco, não há muitos benefícios no programa de e-residency. Se não me engano até R$1.999,18 não há imposto algum no Brasil. Por outro lado, quem ganha um bom dinheiro oferecendo serviços online, tem clientes na Europa ou planeja se consolidar lá em um futuro próximo e usar serviços bancários, com certeza vale a pena cogitar abrir uma empresa na Estônia.

O mundo está sempre mudando. Gosto do Brasil, tive bons momentos aqui, mas quando se trata de estrutura e segurança vale a pena ficar ligado em novas oportunidades para internacionalizar os negócios, reduzir custos e horas de trabalho.

O resto é com vocês...
Bons ganhos e um grande abraçoo!

Comentários

  1. Não fazia ideia disso, bem interessante. Desafiador na verdade, se aventurar no e-commerce em outro continente. Com certeza não é para mim, não só pelos recursos envolvidos, mas também por não ter ideia do que comercializar por lá.
    Caso for fazer isso mesmo, nos mantenha atualizados. Boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. Interessante !! nem imaginava que existia isso !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Roger da Cidadezinha

Os 10 Mandamentos Dos Burgueses Altamente Eficazes