A Ascensão e Queda do Rio de Janeiro

Como todo bom paulistano, muitas vezes eu dava uma passada no centro para comprar alguma coisa local. Uma comida japonesa no bairro da Liberdade... Ou uma comida árabe na Abdo Schahin... Ou algum produto no Mercado Municipal... Ou uma especiaria na zona Cerealista... Enfim, sempre que visitava o centro, observava belos prédios desenhados em arquitetura neoclássica, ou colonial, ou mediterrânea. Já passei horas refletindo sobre os tempos áureos e imaginando como devem ter vivido os burgueses que moravam no antigo centro de São Paulo, que por grande infelicidade continua em pleno declínio. Qualquer dia ainda irei abordar este tema.

Antes de vir para a Espanha, visitei alguns parentes no Rio de Janeiro para dar um último abraço, e consegui aproveitar muito pouco. Todos estes meus familiares locais ficavam dizendo para eu não sair com celular na mão, para não usar terno durante o dia, nem levar meu relógio. Eles estavam em constante estado de alerta. Desesperados.
- Feche rápido essa janela. Quer ser assaltado Burguês?
Isso me incomodou fortemente, mas ao mesmo tempo despertou uma incessante vontade de saber como era antigamente este local. Tamanha minha ignorância, sabia muito pouco sobre o Rio de Janeiro e comecei a imaginá-lo como se fosse o antigo centro de São Paulo construído à beira do mar. Eventualmente, depois de alguma procura, encontrei essa filmagem rara.

Rio de Janeiro em 1932

Rio de Janeiro Hoje

 

É um pouco injusto da minha parte pegar uma foto que simboliza uma parte pequena do Rio de Janeiro e apresentá-la como regra. Dito isso, vamos dar um passo atrás e tentar observar a figura maior.


Em partes, eu culpo os políticos por terem abandonado o Rio de Janeiro como capital do país. Evitando protestos da população eles puderam ficar sossegados aprovando as leis que queriam por muito tempo em Brasília. Talvez se eles tivessem feito a limpeza na cidade ao invés de abandonarem-na ela ainda estaria fluindo bem e melhorando, mas isso não explica tudo.

Quem sabe ainda a mudança tenha sido na queda da Monarquia, que veio a ser república. Independente da razão, eu continuo me perguntando, sempre com um nó na garganta:
O que houve? Onde foi que erramos? 90 anos depois, não deveríamos ter progredido?
Escrever essa série é doloroso.

O resto é com vocês...
Bons ganhos e um grande abraçoo!

Comentários

  1. aqui é o inferno
    não venham para rj

    ótimo post

    abs!

    ResponderExcluir
  2. Burguês, a cidade do rio é dividida em duas. Do bairro do Flamengo, até o Recreio, é uma coisa, e todo resto é outra.

    Nas novelas só aparece a cidade "bonita", com resquícios de glamour de outras épocas, mas a realidade é essa da foto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu compreendo, mas mesmo na parte "bonita" eu via todos desesperados com medo da violência. Além disso, a parte "bonita" estava suja e extremamente mal cuidada.

      É uma tristeza, o Rio de Janeiro é sim bonito por natureza e deveria ter sido melhor estruturado em sua construção.

      Uma infelicidade tudo isso e grande perda para o Brasil e o mundo.

      Excluir
  3. Não conheço o RJ, mas o que ocorreu e ocorre no RJ á algo bem próximo do que ocorre no restante de boa parte do Brasil.
    Só que em cidades grandes isso fica mais evidênciado.
    Falta de planejamento urbano, crescimento demográfico acima do que a cidade pode comportar, estagnação econômica são fatores decisivos para que esses cenários ocorram.

    ResponderExcluir
  4. "Quem sabe ainda a mudança tenha sido na queda da Monarquia, que veio a ser república."

    Eu não tenho dúvidas que o quadro seria diferente se ainda estivéssemos num Império. Voltando atrás na história, podemos enxergar que o nosso Imperador brindou os cleytons com a liberdade em troca de se tornarem seus súditos, e graças a isto eles foram morar em cortiços nas cidades. Claramente não era o ideal, mas era muito melhor do que viver nas senzalas de seus senhores, e agora com algo que poderiam chamar de MEU e também com a liberdade que tanto almejavam, um grande progresso, eu diria.

    Foi então que em 1889 os desgraçados bastardos e fardados da época deram o Golpe na Coroa. Os republicanos imundos passaram a tratar como GADO um povo que se encontrava na condição de SÚDITO, e que por conta da visão de longo prazo de um monarca, claramente a Coroa iria olhar para eles mais cedo ou mais tarde. A partir daí, os golpistas procrastinaram, não encontraram A Solução Final para a Questão Cleyta que fosse mais correta. A Revolta da Vacina ocorreu, e no final de tudo isto os republicucks tiveram a BRILHANTE IDEIA de simplesmente expulsar e destruir todos os casebres dos pobres, com a desculpa esfarrapada de "problemas de saúde pública" e 'limpeza étnica. Ora! Todos nós sabemos que existiam formas mais humanas de realizar limpezas étnicas do que uma barbaridade dessas, mesmo naquela época!

    De lá pra cá o povo cleyton, que estava melhorando de vida gradualmente, acabou caindo drasticamente de qualidade e dignidade de vida, e como tem visto só tem piorado a cada ano que passa e sem perspectiva de mudança. Agradeçam aos golpistas de 89 e toda a sua laia que determinaram a desgraça que temos hoje. O legado dos líderes antecessores das Forças Armadas fez uma ferida brutal no país, mas graças ao bom D'vs, as FFAA limparam os seus nomes na praça em 1964, salvando o Antigo Império da ameaça vermelha que pairava sobre nossas cabeças. Países são destruídos quando param de produzir café e tabaco e começam a exportar soja, este foi um golpe tão duro que o Brasil não se recuperou até hoje!

    Ave, Império!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clássico instantâneo.
      Esse vai para minha galeria pessoal de comentários prediletos.

      É diabólico o que a industria da soja faz com um país.

      Excluir
  5. Fui ao Rio em 2011, passei 10 dias. Fui ao rock in rio nos 2 finais de semana.
    Durante os outros dias sair pra curtir e conhecer a cidade.
    Fiquei impressionado naquela época o quanto o Rio era decadente.
    Aluguei um apartamento no Leme, frente pro mar, próximo ao bar sindicato do chopp.
    O prédio bem localizado, mas deixava bem a desejar no quesito manutenção. Os elevadores caindo aos pedaços. Moradores eram velhos. Corredores escuros. Isso numa área nobre da cidade.
    Saí alguns dias pra andar por Copacabana, algumas barzinhos, padarias legais. Mas muita pobreza. Ipanema e Lebron eram os melhores lugares.
    Fui um dia conhecer o centro. Lugar cheio de pivetes. Tinha uma câmera legal na época, fiquei com medo de usá-la.
    As lojas tudo com aspecto de que estavam pra fechar.
    Comi num restaurante de comida árabe, comida excelente, foi o que salvou meu passeio ao centro.
    Fui numa boate na Barra da Tijuca, gastei uma nota. Me arrependi pra caralho.
    As mulheres super arrogantes e os playboys tudo tirado a malandro.
    A única praia que gostei no Rio foi a da urca. Copacabana, Ipanema e Lebron são cheias, ruins de tomar banho e tem muito pivete.
    Não voltei e não voltaria ao Rio. O Rio, uma cidade maravilhosamente linda, não chega aos pés de São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa foi exatamente minha experiencia, na área nobre:
      - elevadores caindo aos pedaços,
      - corredores escuros,
      - alguns barzinhos e padarias legais mas muita pobreza,
      - centro cheio de pivetes,
      - lojas com aspecto de que estavam pra fechar,
      - mulheres super arrogantes e os playboys tudo tirado a malandro.

      Eles ainda admiram essa cultura. Somente na blogosfera vejo gente apresentando a realidade. As pessoas locais com quem conversei me disseram que morar no Rio era maravilhoso:
      - "Olha essa vista. Bem melhor do que ficar em escritórios de cimento, não."

      Minha vontade era sempre de meter a real e dizer que não, mas pela diplomacia sempre concordava e dizia que o Rio era maravilhoso. Que eles fiquem por lá mesmo.

      Excluir
    2. Concordo com tudo que o anon 22:21 mencionou sobre o Rio de Janeiro quando o visitou em 2011.

      Sobre a questão das "mulheres super arrogantes" na boate da Barra. Sim, elas realmente são super arrogantes. Estão ali em busca de homens muito bonitos e/ou destacados socialmente e/ou cheios da grana. Um sujeito comum, mediano na aparência e não rico num ambiente desses é carta fora do baralho para elas.

      Mas tal fato não se aplica exclusivamente ao RJ. Obviamente não conheço todas as boates de bairros nobres do Brasil, mas tenho certeza que o comportamento delas é sempre o mesmo: muito arrogantes e seletivas.

      Numa boate de bairro nobre em Santa Catarina ou em SP, por exemplo, não será diferente.

      Excluir
  6. Ótimo vídeo, todos bem arrumados, nunca imaginei assim.

    ResponderExcluir
  7. aqui é o inferno
    não venham para RJ.

    Fiquem em seus estados.

    ResponderExcluir
  8. acho que esse medo de assalto também é questão de excesso de notícias ruim eu também ando meio paranoico com assalto mais a verdade é que eu nunca fui assaltado a questão das favelas é pq a cidade é cercada de morros isso foi propicio a essa divisão miseráveis no alto sobreviventes em baixo
    maior altitude dificuldade para água e dificuldade para chegar em casa (subida) em são Paulo tem várias favelas também e na baixada aq no rio tem várias favelas de chão ou seja que não são no morro favela é consequência de salário baixo
    No rio tudo é muito superfaturado inclusive casas até para morar na favela de aluguel já estão cobrando 500 reais e se for na zona sul é até 800 sendo que o salário aq vária para no máximo 1500 liquido morar em favela é uma m... imagina você criar um filho em um lugar desses é praticamente remar contra a maré a criança acaba pegando a mania dos seus amiguinhos ao redor imagina vc faltar trabalho pq o tiroteio está acontecendo daq a pouco patrão te demite essa experiência vc vai passar toda semana sempre de manhã 6h algumas vezes 5 porém pode ter di tarde depois do almoço geralmente são esses o horários nisso nunca tem escola pq o infeliz do governo sempre coloca as escolas públicas perto de favela e para terminar com chave de ouro imagina você se escondendo de baixo da cama junto com sua família e torcer para o helicoptero largando em sequência sem parar bom chega e para alegrar único bairro que eu sei que não tem é barra e vila da penha então por mais que vc gaste sempre vc vai conviver com a violência

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que loucura cara, não consigo imaginar porque alguém escolheria viver nesse ambiente.

      Zona de guerra.

      Excluir
  9. Fala, Burguês. Blz/
    Nascido e criado no Rio e doido pra ir embora. Desde que comecei a fazer umas provas de concurso pelo país, conheci novas cidades. E , cara, impressionante como só me da mais vontade de sair daqui. Aqui é lindo e talz mas os contras tem pesado mais que os prós..
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Venha para a espanha meu caro!
      Não vai se arrepender.

      Desejo-lhe boa sorte com os concursos!

      Grande abraçoo!

      Excluir
  10. Eu culpo 100% a industrialização forçada que o Getúlio Vargas iniciou no país, a partir dali o declínio se iniciou. Os centros urbanos não estavam preparados para receber um contingente tão grande de pessoas se deslocando do campo. A mudança da capital foi a pá de cal final colocada no RJ. Minha experiência nas Olimpíadas de 2016 foi horrível, para não dizer outra coisa...
    Como paulista interiorano sempre me senti um pouco intimidado na capital do Estado, mas absolutamente nada que se compare ao RJ atual. Precisamos de tomar cuidado para que não deixem que a nossa querida locomotiva tome o mesmo caminho, precisamos eleger algum burguês que saiba colocar as pessoas certas no payroll e saiba tocar as obras de infraestrutura como o Maluf fez no passado. Chega de comedores de soja do PSDB!

    Abraços e bons ganhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. excelente comentário!

      "Os centros urbanos não estavam preparados para receber um contingente tão grande de pessoas se deslocando do campo."

      Isso é verdade, mas o mesmo se passou em muitos outros países, e suas respectivas administrações tomaram providências e criaram medidas funcionais. No Rio tudo cresceu sem rumo, desleixo total.

      Excluir
    2. Boa! Concordo. A deterioração, na minha opinião, já se inicia no período Vargas e se aprofunda com o governo Brizola. Esses posts de um RJ bonito na década de 90 n colam pra mim, já era bem ruim nessa época.

      Excluir
  11. Fala Burguês! Não é à toa que o rio de bosteiro é o cu do bostil, tudo de degeneração e degradação vem de lá, depois que a mentalidade progressista chegou, ferrou tudo. Um abraço!

    ResponderExcluir
  12. Fala burguês!

    "Em partes, eu culpo os políticos por terem abandonado o Rio de Janeiro como capital do país. Evitando protestos da população eles puderam ficar sossegados aprovando as leis que queriam por muito tempo em Brasília. Talvez se eles tivessem feito a limpeza na cidade ao invés de abandonarem-na ela ainda estaria fluindo bem e melhorando, mas isso não explica tudo".

    Pode até ser, mas em boa parte em culpo os Curiocas (como diria o finado pobretão kkk) mesmo, votam em massa na esquerda, protestam contra qualquer política liberal, defendem em massa o Direitos dos manos (ops:humanos). Além disso o Estado é um símbolo, uma personificação do jeitinho e malandragem brasileiros e tudo mais de negativo de nossa cultura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No fim, cada um tem o que merece.

      Só fico triste por ver o potencial que aquilo tinha de se tornar um lugar grandioso e a cada dia que passa essa ideia se afasta mais e mais da realidade.

      Excluir
  13. Olá, Burguês.

    Sou meio seletivo quando chegam aos memes, mas com o seu post não consigo não pensar naquele "What the fuck happened" tipo https://pics.onsizzle.com/ano-one-1940-2017-what-the-hell-happened-to-us-23420876.png

    Difícil apontar uma causa específica, mas com certeza o mindset da população, e o a tendência de todos a regressarem à média podem ser culpadas. Afinal, o que é a cidade senão o povo que lá mora.

    O absurdo maior é que ainda tem (muita) gente que acredita que é lá que ainda se pode "ganhar a vida." Eu mesmo encontrei já muitas pessoas do sul recém-chegadas que tinham se mudado para tentar a vida na "cidade maravilhosa," e isso já era em 2017.

    Gostei do seu blog. Vou seguir aqui.

    Abraços e seguimos em frente!

    Pinguim Investidor
    https://pinguiminvestidor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te adicionei ao blog roll nobre Penguim.
      Esse meme caiu como uma luva, bela refêrencia.
      As vestimentas atuais são outro exemplo concreto de Ascenção e Queda®...

      Grande abraçoo!

      Excluir
  14. Brizola foi um gênio, conseguiu destruir o RS e depois o RJ, dois dos estados mais fudidos do país atualmente.

    Seu slogan era genial: "favela não é problema, é solução". Aí foi só proibir a polícia de subir os morros (nada de encostar o dedo nas vítimas da sociedade) e temos este resultado maravilhoso hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Considerando que eles tem poder de voto, Brizola foi realmente genial. Algo muito parecido se passa aqui na Espanha com os ciganos.

      É diabólico o que os políticos fazem com a população de bem para se manter no poder.

      Excluir
  15. Tenho amigos no RJ, vivem me chamando para ir para lá.. eu nunca fui e nunca irei... engraçado você o pessoal aqui de SP indo passear no RIO e postar fotos em redes sociais com a Hastag #ErreJota kkkkkk

    ResponderExcluir
  16. Olá Burguês. Dois fatores foram providenciais para a transformação do RJ numa babilônia moderna.
    Com pesar admito que os governos militares tiveram uma grande parte da culpa, principalmente na gestão do saudoso General Medici, onde centenas de milhares de pessoas foram atraídas pelo emprego pleno. Depois que o ciclo económico deprimiu, ficaram todos com a bunda fora d'água.

    Em segundo os comunistas da prisão de Ilha grande que transformaram bandidos comuns em verdadeiros guerrilheiros do tráfico, sob supervisão estrita do Kremlin. Quando o Brizola proibiu a policia de fazer seu trabalho e com o país na mão da esquerda por 35 anos, a cidade implodiu.

    Curiosamente minha visita ao RJ, pelo antigo trabalho, foi providencial para que eu deixasse nosso país. Ir para lá foi sem dúvidas a pior coisa que fiz na vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ir para lá foi sem dúvidas a pior coisa que fiz na vida."
      Eu ouvi isso de pelo menos quatro pessoas até agora, não consigo compreender como o Rio mantém o status dos tempos áureos até hoje.

      Sobre a prisão, eu sou à favor de separar os presos por QI.
      Até 77 tanto faz.
      Entre 77 e 100, dois por sela.
      Acima de 100 isolados totalmente.
      O PCC também nasceu da junção de políticos com mentes brilhantes e bandidos articulados.

      Excluir
  17. Recentemente, um juiz de um tribunal do Rio, que mora e trabalha no Rio, decidiu numa ação de disputa de guarda que uma criança deveria ficar com o pai, que mora em Joinville-SC, e não com a mãe que mora numa favela carioca. A justificativa? "O Rio de Janeiro se transformou numa sementeira do crime". Autoridades protestaram dizendo que era preconceito, vai haver recurso, mas quem pode negar que esse juiz tem certa medida de razão e que o ambiente da cidade do Rio é perigoso pra um menino crescer em segurança?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juiz lúcido este que tomou a decisão heroica. Se concretizá-la, sem dúvidas terá salvo a vida dessa criança. Eu jamais criaria um filho ali. Loucura total.

      Excluir
  18. Como paulista e paulistano, eu amo infinitamente mais o Estado de São Paulo do que amo o Brasil. Aliás, a única ligação emocional que eu tenho com o Brasil consiste no fato desse imenso território ter sido conquistado pelos bandeirantes paulistas no passado - e por esse motivo eu meio que tenho esse país como uma espécie de "herança" - ou uma "propriedade".
    Todos os dias eu choro com a emoabização da nossa querida capital. Eu ando por suas ruas e noto que a maior parte do povo que as ocupa não é composta por paulistas... É de partir o coração. Como é possível que uma terra de heróis bandeirantes, de comerciantes tropeiros, de gente empreendedora, de caipiras amantes de suas tradições de mais de 400 anos, ser invadida e destruída dessa forma? O Brasil não merece ser feliz. O Brasil não merece o povo paulista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maioria nunca entenderá a sensação de carregar o orgulho bandeirante no peito. Avante, São Paulo!

      Excluir
  19. Assisti o vídeo agora que você postou Burguês, e parece coisa de outro mundo! Vou orar muito a Deus para que meus karmas sejam pagos e eu consiga sair desse purgatório que me encontro. Essa semana mesmo mataram um aqui na rua, eu escuto barulho de avião ou já fico em alerta me sentindo mal pensando que são os helicópteros chegando pra meter bala. Infelizmente o Rio virou o GTA online da vida Real.

    Abraços do Don Cristian

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como Arrumar Ombros Protusos?

Hora De Agir